Conhecimento & Arte

Tirando proveito do melhor da vida

Inteligência?

Então o que é inteligência e onde ela reside? Em nossa mente? Na matéria? Ou no entrelace de conexões? “Os avanços na pesquisa sobre a gênese dos processos superiores humanos – a psicogênese – nos últimos 100 anos foram tão importantes para a elaboração de teorias e modelos pedagógicos, terapias e avaliações psicológicas, quanto o foram para o design de inteligências artificiais.”

O inicio da Inteligência Artificial foi marcado por altos e baixos, tropeços e conquistas na tentativa de criar algo que realmente imitasse a inteligência dos seres humanos. Cercados de mistérios, cientistas fracassavam no teste Turing, mas será que o teste de Turing realmente garantia que quem fosse aprovado seria realmente inteligente?

Felizmente a tentativa de criar um ser artificial realmente pensante e inteligente foi deixada para trás, abrindo as portas para inúmeras conquista no campo tecnológico: tecnologias voltadas para o entendimento da mente, softwares que automatizassem deveres rotineiros dos seres humanos passaram a facilitar e muito a rotina e o tempo de processamento de uma informação.

Os humanos estão longe de processarem com tanta rapidez cálculos e dados estatísticos que em segundos passam pela análise das máquinas, mas também as máquinas estão longe que viverem a rotina pensante dos humanos. Uma barreira inda intransponível para aquilo que temos e chamamos de tecnologia.

Vivemos o futuro do futuro. Para muitos escritores do passado, as histórias giravam em torno do século 21,como um século promissor, que levaria a humanidade ao ápice da glória tecnologia e viveria em uma realidade totalmente fora do comum.

Hoje temos Smartphones, desktops, leitores de Ebooks e até geladeiras inteligentes; tecnologias nada comuns no século passado e que fariam qualquer explorador do futuro de 1960 sair correndo, mas não vivemos no espaço e muito menos voamos em carros até o mercado, nem ao menos conseguimos descobrir uma tecnologia que vencesse a “simples” lei da gravidade de Newton de 3 séculos atrás. Será que ainda vivemos em um profundo atraso intelectual?

Se depender das obras e filmes sobre “invasões alienígenas” ou “seres extraterrestres” isso é muito provável, pois os seres de outros planetas são vistos como superiores intelectuais e tecnológicos; talvez uma aspiração para um futuro alternativo de um povo que ainda nem aprendeu a relacionar-se consigo mesmo e com o ambiente onde vive.

Somos os donos da inteligência! E podemos fazer dela o que bem entendermos, mas para isso temos que dominá-la. Milhares e milhares de bits que nos rodeiam a todo o momento são portadores de inteligência: a informação, nunca ela foi tão valorizada com atualmente, por que será? Mas a informação é burra se não for bem aproveitada e os humanos são mais burros ainda ao ignorá-la.

As máquinas e brinquedinhos tecnológicos que temos são programados apenas para realizarem cálculos e retornarem uma informação, mas nada se compara com o que um humano pode fazer com a informação que recebe.

O hardware não passa de um peso morto sem um software adequado e o humano está morto sem uma mente racional.

 

obs: Inspirado no artigo:  Por que só papel? (ou: computadores além do Desktop Publishing) do site imasters.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em março 23, 2011 por em conhecimento, inteligencia, tecnologia.
%d blogueiros gostam disto: